Precariado e sindicalismo no Sul global

Trabalho

Ruy Braga

ACESSE O ARTIGO EM PDF

Resumo: O sociólogo britânico Guy Standing notabilizou – se pela ideia segundo a qual o precariado seria uma “nova classe perigosa” produto da deterioração da relação salarial “fordista” resultante do aprofundamento da globalização capitalista. Supostamente, essa nova classe classe em formaç ão teria interesses hostis em relação ao sindicalismo fordista, mais interessado em defender os interesses corporativistas de seus associados do que apresentar soluções críveis às vicissitudes dos jovens trabalhadores em condições precárias de trabalho. Este artigo pretende apresentar uma problematização das posições sustentadas por Standing a respeito da relação entre o comportamento político do precariado e o movimento sindical a partir da análise de dois casos relacionados ao Sul Global: Brasil e Portuga l.

Palavras – chave: 1. Precariado. 2. Sindicalismo. 3. Brasil. 4. Portugal

Precariat and unionism in the global South

Abstract: The British sociologist Guy Standing has stood out for the idea that the precariat would be a “new dangerous class” as a produ ct of the deterioration of the “Fordist” wage relation that arised from the deepening of capitalist globalization. Supposedly, this new class in formation would have hostile interests regarding the Fordist unionism and would be more interested in defending the corporatist interests of its members than to present credible solutions to the vicissitudes of the young laborers under precarious working conditions. This article aims to question Standing’s positions about the relation between the political behavior of the precariat and the trade union movement based on the analysis of two case – studies related to the Global South. Brazil and Portugal.

Keywords: 1. Precariat . 2. Unionism. 3. Brazil. 4. Portugal .

Participe da discussão sobre o artigo/edição acima.