A revista Outubro chega a sua oitava edição com ótimas novidades que contribuem grandemente com a consolidação de nosso projeto editorial e político. Em primeiro lugar, comunicamos que já está no ar nossa página na Internet (www.revistaoutubro.com.br). Por intermédio da página o leitor poderá acessar todos os artigos das edições anteriores e consultar o índice do número mais recente, além de obter informações sobre normas de publicação e os locais de venda da revista. Com isso, procuramos tornar mais acessível o material produzido por nossos colaboradores, além de agilizar o contato dos leitores com a secretaria de redação. Outra novidade importante é a indexação de Outubro a dois bancos de dados internacionais: o Ulrich’s Periodical Directory e a Citas Latinoamericanas de Ciências Sociales (Clase). Por meio da indexão buscamos potencializar nossa circulação internacional, além de garantir maior visibilidade à revista.

Registradas as novidades, passemos à apresentação dos artigos. Logo de início, Outubro publica um artigo do professor Edmundo Fernandes Dias a respeito da formação e da natureza do governo Lula. Com uma exame da lógica do pacto social, Teones França comparece com trabalho sobre tema de fundamental importância para a análise da conjuntura do governo petista. Como de praxe, nossa revista não se abstém de tratar dos assuntos mais candentes da realidade presente e busca oferecer uma pequena contribuição para o debate que predomina atualmente na esquerda socialista brasileira.

Sérgio Lessa comparece com uma bem-vinda crítica às teses do “trabalho imaterial” sustentadas por intelectuais da “esquerda pós-moderna” européia e norte-americana, tendo Antonio Negri à frente. Dando seqüência a uma das principais (e agora já tradicionais) preocupações de nossa revista, a crise do capital é o tema do artigo de Edmilson Carvalho. Alvaro Bianchi analisa a dominação militar norte-americana no contexto da recente crise da ordem mundial.

Dois artigos de colaboradores internacionais ajudam a enriquecer este número. O professor Luciano Vasapollo da Universidade La Sapienza de Roma nos brinda com uma importante contribuição ao debate a respeito da atualidade do pensamento marxiano na interpretação das mutações das formas de dominação do trabalho. Edgardo Logiudice nos ajuda a minimizar uma grave omissão de Outubro: a ausência de um trabalho cuja referência seja a crise argentina.

Finalmente, nossa seção de resenhas apresenta um quadro diversificado de volumes lançados recentemente e que condensam contribuições decisivas para o debate histórico e filosófico no interior do campo marxista.

A todos, desejamos uma proveitosa leitura.

EDIÇÃO 08